Quais os cuidados para preservar o gramado do seu jardim?

31/05/2017 Jardim, Plantas
como preservar o gramado do seu jardim

Poucas coisas trazem tanto a sensação de acolhimento e tranquilidade como um gramado bem verdinho no quintal de casa. Não importa o tamanho do terreno, a simples presença de um elemento natural é capaz de aumentar significativamente a sensação de bem-estar.

Mas para quem acha que manter um quintal bonito durante o ano inteiro é uma tarefa difícil, saiba que o gramado exige certa atenção, porém, está longe de ser uma missão impossível. Basta ter alguns cuidados na escolha e na manutenção das gramíneas e também evitar determinadas práticas (comuns) que danificam as plantas.

 

Preparando o terreno para um belo jardim

Antes de escolher um tipo de grama e sair comprando, lembre-se que existem muitas espécies diferentes, cada qual adaptada a determinadas condições de clima, solo, topografia, localização geográfica, entre outros fatores.

A esmeralda, por exemplo, é a mais comum no Brasil pelo baixo custo e pela facilidade de adaptação. Já a Santo Agostinho tem boa tolerância à salinidade e, por isso, é recomendada para casas de praia e regiões litorâneas. O primeiro passo, portanto, começa com a escolha de uma espécie adequada ao lugar onde será plantada.

Em seguida, prepare o solo com a limpeza do terreno (retirada de pedras, ervas daninhas, etc), com o nivelamento e com a adubação correta da terra de acordo com o pH dela. O uso de fertilizantes é muito importante, pois eles nutrem a terra com elementos que as plantas precisam para prosperar. Mas além do adubo nesta fase inicial, é fundamental utilizá-los posteriormente, de uma a duas vezes por ano.

Concluído o preparo anterior e após a colocação das placas de grama, deve-se irrigar o local diariamente por 7 dias, sempre em período de sol fraco para evitar que as folhas queimem nesta fase de adaptação. Depois desse período, a frequência da irrigação é dada pela estação do ano: no verão até duas vezes ao dia, no outono e na primavera somente uma vez por dia e no inverno até duas vezes por semana.

Assim que a grama estiver crescendo, estabeleça uma rotina de poda, pois é ela que deixa a planta resistente. No verão ou nas épocas de maior calor, recomenda-se deixar a grama mais alta para ela reter a umidade do solo e não queimar, assim ficará verdinha durante toda a estação.

 

 

Erros comuns que estragam qualquer projeto

Depois de entender um pouco mais sobre os cuidados para começar e manter um gramado saudável e bonito, é interessante se atentar aos hábitos e práticas que podem colocar todo o seu trabalho em risco.

Quando fizer a poda, por exemplo, certifique-se de que a lâmina está bem afiada, pois se não estiver pode danificar as folhas e facilitar o aparecimento de fungos e ervas daninhas – que acabam com o verdinho do gramado. Evite também podar com muita frequência, pois isso enfraquece a planta; e ao concluir o corte é importante fazer a limpeza do terreno, uma vez que os resíduos depositados sobre o solo podem contribuir para o crescimento de fungos e pragas.

Se houver animais na casa, como gatos e cachorros, evite transformar a grama em um banheiro para eles. As substâncias presentes na urina dos bichos pode deixar a grama amarelada e até mesmo matar a planta. Mas se isso já aconteceu, jogue imediatamente uma boa quantia de água no local para diluir as substâncias.

Falando em água, regar demais também acaba com o jardim. Controle a quantidade de água que é utilizada na irrigação de acordo com a espécie de grama e as características de solo e do clima da região. Uma dica: quando as folhas estiverem levemente retorcidas é sinal de que é hora de regá-las.

Por fim, se tiver problemas com pragas que estão destruindo seu quintal, evite fungicidas e pesticidas sintéticos e prefira os tratamentos com soluções orgânicas!