Horta em casa: tudo o que você precisa saber para ter a sua!

26/06/2019 Jardim, Plantas
Pessoa cultivando horta em casa

Hoje em dia, a preocupação com os alimentos consumidos tem sido um assunto de destaque. O cuidado em ingerir alimentos que recebem mais ou menos agrotóxicos, que são ou não transgênicos, que são ou não orgânicos tem feito parte da rotina nas idas ao mercado.

Uma opção que tem suprido bem a necessidade de quem tem esse tipo de preocupação é o cultivo de verduras e legumes em casa. E, ao contrário do que você deve estar pensando, não é necessário um enorme espaço para produzir parte do seu alimento em casa. O post de hoje vai ensinar as melhores dicas de como montar e cuidar da sua própria horta!

5 passos simples para ter a sua horta em casa

1. Escolha o espaço adequado

A decisão do espaço onde a sua horta será plantada é bastante importante, pois é a partir dessa escolha que você saberá quais tipos de cultivos podem ser realizados. Grande parte das opções de verduras, frutas e legumes gosta bastante de sol e precisa dele para a realização da fotossíntese, por isso é importante que o local escolhido tenha uma boa incidência de sol. Mas, atenção: deve haver um equilíbrio. Sol demais também pode ser tão prejudicial quanto a falta dele.

5 principais cultivos para espaços com mais sol: tomate, alface, cenoura, cebola e pimentão.

5 principais cultivos para espaços com menos sol: manjericão, couves, rabanetes, rúcula e espinafre.

2. Escolha bem o que será plantado

A escolha do que será plantado não está relacionada somente às restrições do local, como a incidência de sol, por exemplo. Para quem é iniciante, é recomendado bastante atenção na hora de escolher quais serão os cultivos, a fim de evitar frustrações; o tomate, por exemplo, é um fruto bastante delicado e que despende uma série de cuidados especiais, principalmente no que diz respeito ao controle de pragas; por isso, talvez a melhor opção para quem está começando seja cultivar alimentos mais fáceis e se aventurar conforme for aperfeiçoando.

5 principais alimentos de fácil cultivo: alface, hortelã, salsinha, cebolinha e manjericão.

5 principais alimentos de difícil cultivo: tomate, morango, cebola, pimentão e repolho.

3. Prepare o solo

A depender do cultivo escolhido, você tem várias opções de onde instalar a sua horta! Ela pode ser em faixas grandes de solo, em vasos, em cantoneiras, em caixas de madeira, etc. Depois de escolhido o suporte da sua horta, é hora de preparar o solo.

  • Deixe a terra bem fofa: há uma grande diferença entre solo macio e solo ensopado; você deve deixar a terra fofa e não encharcá-la. O procedimento deve ser feito pois, se o solo estiver com a terra muito dura, as raízes do seu plantio não conseguirão fixar e crescer.
  • Adube a terra: esta etapa é especialmente importante pois é uma maneira de já enriquecer o solo para que o seu cultivo se fixe em um ambiente com bom fornecimento de nutrientes. Você pode usar fertilizantes à base de nitrogênio, fósforo e potássio, por exemplo, em medidas adequadas. Mas preste atenção pois para os adubos vale a mesma regra da luz solar: quantidades em excesso são tão prejudiciais quanto a escassez.

4. Realize o plantio

Finalmente, agora é a hora do plantio. Há duas maneiras diferentes de plantar, que variam se você está plantando via sementes ou via mudas.

Em caso de semente: veja qual é o espaço entre as plantas indicado pelo fornecedor. Em seguida, abra pequenas covas em profundidade indicada e coloque as sementes, cobrindo-as com terra depois.

Em caso de mudas: abra pequenas covas com profundidade suficiente para cobrir a terra da muda. Deposite a muda no espaço, cubra com um pouco de terra e aperte levemente o solo para que tudo fique acomodado.

5. Regue a plantação

É importante que a rega seja cuidadosa e delicada; nada de esguichos fortes de água! Eles podem destruir tudo o que você construiu.

Nos primeiros dias, a rega deve ser com uma vasão fina e realizada diariamente!

 

E horta em apartamento, é possível?

1. Escolha o local

O primeiro passo, sem dúvidas, é escolher o local onde a sua horta ficará. É partindo dessa decisão que todas as outras serão definidas, por isso, esteja atento. É indicada a escolha por um espaço que receba ao menos 5h de luz solar, preferencialmente pela manhã; não há problemas com os outros períodos do dia, portanto, não se desespere. Mas, caso você tenha disponível um espaço que recebe luz neste horário, saiba que ele é o ideal!

Na sacada

Se você tem uma sacada, ela pode ser um bom espaço para receber a sua horta. Geralmente são ambientes bem ventilados e iluminados, espaço perfeito para o desenvolvimento do seu plantio.

Na cozinha

Uma boa opção para a instalação da sua horta é a própria cozinha! Além de ser mais prático e fácil na hora de colher, plantar sua horta na cozinha pode ser uma ótima maneira de aproveitar o espaço e, além disso, decorá-lo. Apenas esteja atento: evite deixar seu plantio próximo ao forno e ao fogão, que podem prejudicar as plantas devido ao calor excessivo.

2. Escolha como plantar

Com base na decisão do espaço onde você instalará a sua horta, você deve decidir como será a cara da sua plantação: no vaso, em painel, em jardineiras, etc. Se você decidiu pela sacada, por exemplo, e possui alguma parede livre podendo ser utilizada, os painéis podem ser boas opções, já que são fixados e, por isso, não ocupam espaço. As jardineiras podem ser úteis se há algum espaço vazio no chão.

A opção dos vasos é bastante versátil, já que pode ser aplicada tanto em sacadas, cozinhas ou outros ambientes. Você pode optar por deixar os vasos sobre alguma superfície ou, então, mantê-los suspensos, o que pode ser bastante decorativo, principalmente no caso de sacadas.

Se você prefere opções mais sustentáveis, saiba que é perfeitamente possível instalar a sua horta em suportes feitos de garrafa PET ou canos de PVC.

3. Escolha o que será plantado

É hora de escolher do que será feita a sua horta! As opções são bastante diversas, mas vale lembrar que, ainda que a sua horta seja possível, ela está em um apartamento. Por isso, não espere tanta liberdade para escolher plantar, por exemplo, abóboras e melancias.

O mais recomendado para estas situações são os temperos e ervas: manjericão, hortelã, salsinha, alecrim, coentro, orégano, etc. Você também pode plantar hortaliças de raiz curta, como alface, por exemplo.

Na hora de comprar, dê preferência pelas mudas ao invés das sementes, que são mais difíceis de serem manejadas.

4. Hora de plantar!

Na hora de realizar o plantio, o ideal é que você prepare o solo com uma parte de areia para cada parte terra; assim, você não corre o risco de sofrer com a falta de drenagem e, consequentemente, acabar com o solo encharcado. Depois que tudo estiver plantado, é só regar: para o caso das sementes, o ideal é que a rega seja feita 3 vezes no dia; já para as mudas ou plantas crescidas, a recomendação é de 1 rega diária.

 

Quais os nutrientes que o meu cultivo precisa?

Cenoura

A cenoura pede um solo livre de pedras e outros tipos de resíduos, mas é indispensável que haja riqueza de matéria orgânica; além disso, o nitrogênio não precisa estar presente em abundância.

Cebola

Muito parecida com a cenoura, a cebola requer um solo rico em matéria orgânica, sem muita necessidade de hidrogênio.

Alface

Para que a alface cresça bem e saudável, é necessário um solo rico em matéria orgânica, com bom controle de água e com bom fornecimento de nitrogênio.

Couve

A couve precisa mesmo é de boa drenagem e retenção de umidade, além de nitrogênio disponível.

Repolho

Além de matéria rica orgânica, o repolho deve receber atenção quanto à deficiência de boro, que deve ser corrigida com aplicações foliares de fertilizantes adequados.

Berinjela

Matérias orgânicas são mais do que bem-vindas, além de um bom fornecimento de nitrogênio.

Tomate

Além do nitrogênio, o tomate também precisa do cálcio e do potássio, em quantidades consideráveis. Poucas quantidades de magnésio, fósforo e enxofre também são requeridas.

Pepino

Além de um solo rico em matéria orgânica, o pepino também necessita da clássica tríade de nutrientes: nitrogênio, fósforo e potássio.

Brócolis

A matéria orgânica é necessária, mas o boro é o que o brócolis mais precisa. A ausência deste nutriente pode causar danos como caules ocos e deformações no florescer da planta.

Hortelã

Sem muitas necessidades, para a hortelã basta que o solo receba matérias orgânicas em geral.

Manjericão

Também necessitado de matéria orgânica, o manjericão precisa receber atenção quanto aos níveis de acidez: o excesso de ácidos pode ser prejudicial à planta.

Orégano

Diferente da maioria citada acima, o solo para o orégano pode ser fértil, mas o crescimento também ocorre em ambientes mais pobres. A planta tende a ter um desenvolvimento melhor em solos ricos de calcário.

Alecrim

Também indo contra o fluxo da maioria dos plantios, o alecrim se dá bem é com os solos pobres em nutrientes. É nestes ambientes que a planta desenvolve mais aroma e sabor.

Cebolinha-verde

Matéria orgânica é bem-vinda e o crescimento vai bem em qualquer tipo de solo, mas é importante prestar atenção aos ambientes muito encharcados ou ácidos.

Mas e as pragas? Como evitar?

1. Mantenha o jardim limpo

Deixar o jardim sempre em ordem quanto à manutenção e à limpeza pode ajudar a evitar que as pragas e doenças se aproximem da sua horta. Estar atento às ervas daninhas é muito importante, considerando que este é um ambiente que favorece bastante o desenvolvimento de parasitas.

2. Regue o solo e não as folhas

Quando você deposita a água diretamente no solo, ela é absorvida sem acúmulos, se não for posta em excesso. Isso não acontece quando a planta é regada pelas folhas: quando úmidas, elas ficam mais propensas a servir de abrigo aos fungos. Outra dica a respeito das regas é realizá-las logo pela manhã, assim o solo tem o dia todo para secar.

3. Praga à vista!

Ao menor sinal de que um dos seus plantios está sofrendo com pragas e doenças, o ideal é isolá-los do restante, a fim de evitar um alastramento.

4. Tenha uma plantação diversificada

A lógica é simples: há doenças e parasitas que têm preferência para um tipo ou outro de planta. Se a sua horta é toda de um vegetal só ou pouco sortida, a contaminação pode se alastrar mais facilmente e de maneira mais rápida, comprometendo todo o seu plantio.

5. Atenção aos detalhes

Você sabia que a luminosidade e a temperatura são fatores que podem tornar sua horta mais propensa a ser atacada por pragas? Por isso, é muito importante conhecer bem o que você cultiva, a fim de saber a quantidade ideal de luz que o seu plantio precisa bem como a quais temperaturas ele se desenvolve melhor.

6. Cuidado na hora da poda

Quando for podar sua horta, é importante tomar cuidado com a tesoura, faca ou objeto cortante utilizado. É importante desinfetar a ferramenta entre a poda de uma planta e outra; caso você tenha cortado as folhas de uma muda de salsa contaminada com alguma praga ou doença e vá, em seguida, podar os excessos da sua cebolinha, pode acabar transportando as pragas para outras plantas.

7. Repelentes naturais!

É possível afastar as pragas da sua horta através do cheiro. E mais: com recursos naturais! Alho, cebola e alecrim são exemplos ótimos de plantios que exalam um odor eficiente na tarefa de manter as pragas longe. Citronela e hortelã também desempenham muito bem este papel!

Agora que você já sabe como ter uma horta em casa perfeita, estamos aqui para te dizer: um bom fertilizante pode ajudar e evitar muitos dos problemas que citamos serem recorrentes. Quer saber mais sobre isso? Conheça o Planta 100, fertilizante líquido completo, com excelente absorção e desenvolvido especialmente para plantas de um modo geral!