Árvores frutíferas: qual o melhor tipo de adubo?

12/07/2017 Plantas
árvores frutíferas

Mamão, morango, uva, maçã, banana… São várias as opções para quem decide plantar árvores frutíferas. Geralmente, as maiores necessidades desse tipo de plantação não difere muito dos cuidados que as plantas normalmente precisam. Água, luz e nutrientes são os básicos. A água é obtida por meio das regas e da chuva, a luz é fornecida pelos raios solares, mas e os nutrientes? Engana-se quem pensa que este é o solo quem fornece.

Nem sempre o solo é capaz de fornecer tudo o que as suas árvores frutíferas precisam e nas quantidades que elas necessitam. É neste momento que entra em ação o trabalho dos fertilizantes! Mas qual o melhor tipo de adubo para as árvores frutíferas? Confira abaixo algumas informações que podem te ajudar a escolher o seu!

 

Fonte de fósforo

Quando o assunto são árvores frutíferas, o nutriente que faz toda a diferença é o fósforo. Responsável pela floração e frutificação, este elemento é o responsável por possibilitar a geração de frutos. Como nem sempre o solo é suficiente para oferecer fósforo nas quantidades necessárias, é bastante comum ver árvores frutíferas que florescem normalmente, mas nunca dão frutos. Neste caso, uma boa dose de fósforo pode ajudar.

 

Fonte de nutrientes em geral

O fósforo é bastante necessário, mas nem só desse nutriente vivem as árvores frutíferas. Outros elementos importantes são o nitrogênio, o potássio, o cálcio e o magnésio, por exemplo.

Para você ter uma ideia de como é importante se preocupar com uma nutrição global, o nitrogênio, por exemplo, trabalha no crescimento dos brotos e das folhas. Já o potássio ajuda a planta a se tornar mais resistente às pragas e, assim, a qualidade dos frutos se torna muito superior. O cálcio também auxilia nesse sentido, já que contribui para o fortalecimento das estruturas da planta, dificultando o ataque das pragas.

 

Adubo orgânico ou químico?

A dúvida é bastante recorrente, considerando que as duas opções têm suas vantagens. O diferencial entre um e outro fica por conta da necessidade que você tem.

 

Adubo orgânico

São os adubos de origem animal ou vegetal. No caso das árvores frutíferas, é muito utilizado o esterco bovino, equino, suíno ou de frango e também a torta de mamona. Sua maior vantagem é ser natural e seu contraponto é o pouco controle e segurança que esse tipo de adubo fornece, já que as quantidades nunca são exatas e, por serem retirados da natureza, ainda há a possibilidade de vir acompanhado de doenças e sementes de ervas daninhas, por exemplo.

 

Adubo químico

Os adubos químicos são as composições elaboradas em laboratórios e podem ser variadas. As opções variam das versões líquidas às granuladas e das completas às de NPK (que contam com um concentrado apenas de nitrogênio, fósforo e potássio).

A maior vantagem dos adubos químicos é controle exato que se tem das quantidades e dos nutrientes ali presentes. Já o seu contraponto está no custo: um pouco mais alto do que os orgânicos.

 

Qual escolher?

Os fertilizantes completos e líquidos são opções bastante certeiras, já que unem um mix completo e balanceado de nutrientes — da tríade NPK e também os demais, igualmente importantes — e oferecem um controle muito maior daquilo que está sendo oferecido à sua árvore frutífera. Além disso, as versões líquidas são as opções com melhor resposta de absorção. Neste caso, se a necessidade é urgente, o ideal é investir nos fertilizantes líquidos!

Restou alguma dúvida? Escreva nos comentários e nós podemos te ajudar! Não conhece nenhum fertilizante líquido de qualidade para a sua árvore frutífera? Confira o post abaixo: